1. Home
  2. Notícias
  3. Animais de Companhia
Animais de Companhia

Guarda responsável: O que você precisa saber antes de ter um animal de estimação


Publicado em: 16/08/2023 10:00 | Fonte/Agência: Assessoria de Comunicação | Categoria: Animais de Companhia

 


A Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) define guarda responsável como a situação em que uma pessoa aceita e se compromete a desempenhar funções diversas, de acordo com a legislação vigente, com foco na satisfação das necessidades comportamentais, ambientais e físicas de um animal, bem como na prevenção de riscos (agressão, transmissão de doenças ou lesões) que o animal possa representar para a comunidade, outros animais ou o meio ambiente. 

A guarda responsável é essencial para a manutenção da saúde humana, da saúde animal e da redução dos impactos no meio ambiente, uma vez que evita o abandono de animais domésticos, acidentes, doenças e ameaças aos animais silvestres. 

Ao vacinar e esterilizar seu cão, você contribui para o manejo populacional e evita a invasão desses animais às unidades de conservação, o que prejudica o modo de vida dos animais silvestres, como competição por recursos (alimento e abrigo) e transmissão de doenças. O impacto da invasão de espécies domésticas/invasoras é considerado a terceira maior ameaça às espécies nativas, depois da superexploração e da destruição do hábitat.

Além disso, o abandono animal é considerado crime, conforme a Lei Federal nº 9.605/98, que estabelece pena de prisão e multa, as quais podem ser aumentadas se o ato resultar na morte do animal. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 30 milhões de cães e gatos estejam em situação de rua no Brasil, sujeitos a maus-tratos, falta de alimento e abrigo. Diante disso, vale ressaltar que o abandono não se restringe ao ato de colocar o animal para fora de casa, negligenciar as necessidades primordiais aos pets dentro de casa também configura o crime. 

Entende-se por abandono domiciliar quando o pet é mantido acorrentado, isolado, sem alimentação adequada, impedido de manifestar comportamentos inerentes à espécie e vivendo em más condições de higiene e saúde.

 

Pensando em tudo isso, confira algumas ações que definem a guarda responsável:

  • Fornecer alimentação adequada e água: todos os seres vivos precisam de nutrição apropriada para que possam realizar suas atividades fisiológicas, desta forma, é importante fornecer uma alimentação balanceada e de qualidade para o animal. A alimentação pode ser em forma de ração ou alimento natural, entretanto, caso opte por alimentação natural, é necessário o acompanhamento com o médico veterinário para que sejam atendidas as necessidades nutricionais de cada espécie e raça. A água é indispensável à vida dos seres vivos, por isso é importante manter água filtrada e fresca sempre disponível para evitar desidratação e a contaminação por parasitos.

  • Promover higienização, everminação e promoção de controle de pulgas e carrapatos: periodicamente os animais devem ser everminados, além da utilização de medicamentos para a prevenção de pulgas e carrapatos, sob orientação veterinária, para evitar a contaminação por parasitos que podem ser transmitidos a outros animais e aos humanos. O tutor também deve estar atento à higiene do pet, por meio de banhos periódicos, corte das unhas, tosa e a limpeza dos dentes, que contribuem para o bem-estar do animal, além de auxiliar na prevenção de doenças.

  • Promoção de ambiente adequado: os animais devem ser mantidos em ambiente seguro, arejado, limpo e com local para que possam se proteger da chuva e do sol, evitando acidentes e o acometimento por enfermidades. O espaço deve ser suficiente para que o animal possa expressar seu comportamento natural, sendo importante o enriquecimento ambiental direcionado para aquela espécie.

  • Realizar de vacinação: assim como os humanos, os animais precisam ser vacinados contra algumas doenças para que possam ter sua saúde protegida, evitando infecções por vírus e bactérias que podem ser prevenidas. Além disso, vale lembrar que algumas zoonoses podem ser evitadas por meio da vacinação.

  • Realizar castração: a castração é importante para o controle populacional de cães e gatos e pode contribuir para que o animal tenha uma boa qualidade de vida. Ela auxilia na prevenção de doenças, como câncer de mama e hiperplasia de próstata, minimiza fugas, agressividade e brigas, além de evitar ninhadas não planejadas que podem resultar em abandono.

  • Garantir assistência veterinária: é de suma importância que todos os animais tenham acesso a médicos-veterinários. Assim como os humanos, os animais necessitam de acompanhamento da sua saúde com profissionais qualificados, necessitando de exames, cirurgias, nutrição específica, entre outros. Deste modo, os tutores devem estar cientes da importância de levar o animalzinho de estimação regularmente ao médico-veterinário de confiança.

  • Não abandone o seu animal em viagens ou mudanças: não deixe seus pets sozinhos em casa por longos períodos. Em viagens, leve sempre a Carteira de Vacinação atualizada e o Atestado de Saúde Animal. Eles devem viajar no banco traseiro, em caixas de transporte ou presos a cintos de segurança específicos. Não esqueça de parar a cada duas ou quatro horas para oferecer água e para que o animal urine.

Além dessas ações, antes de adquirir um animal,é essencial verificar se sua unidade familiar está de acordo em conviver com um animal de estimação. Também considerar se o orçamento familiar comporta os custos básicos do pet e, principalmente, que um cães e gatos vivem cerca de 15 anos e vocês precisarão cuidar dele por todo esse tempo.


Voltar
Top